2013 - O ano das manifestações

enviar por e-mail
* campos são obrigatórios
corrigir
* campos obrigatórios
Notícias | 18/12/2013 - 13h57

Há alguns anos, o mundo vive um “boom” de protestos motivados por diferentes questões, mas com muitos aspectos em comum, como o uso de novas tecnologias de comunicação para organização dos movimentos.

Europa e EUA já assistem a muitas manifestações desde o início dos anos 2000 e a crise econômica de 2008 fez perpetuar as indignações dos cidadãos que continuaram a ocupar as ruas.  

Em 2013, houve uma descentralização dos protestos, onda que se espalhou pelo mundo. O instituto de pesquisa social e econômica "Economist Intelligence Unit" mapeou ao menos 30 países que tiveram manifestações neste ano.  

A TViG selecionou cinco países fora do circuito Europa-EUA e com diferentes demandas sociais para relembrar um ano em que o povo foi o protagonista.

Argentina, Armênia, Azerbaijão, Bósnia e Herzegovina, Singapura,Portugal, Macedônia, Tanzânia, França, Espanha estão entre os países que estão acompanhando revoltas populares pelo mundo.  

1) 
BRASIL
 
As manifestações de junho e julho no Brasil foram motivadas pelo aumento das passagens de ônibus.
Brasileiros de todas as regiões ocuparam as ruas nas maiores manifestações desde o impeachment de Collor em 1992. Por conta da repressãopolicial e casos de corrupção, os protestos logo tomaram grande proporção. Outras bandeiras eram maiseducação e crescimento econômico voltado para a área social.  

2) 
TURQUIA

Em maio, centenas de cidadãos se reuniram no centro de Istambul em protesto contra a destruição do parque Gezi. Após reforma, o local abrigaria uma instituição do governo. A manifestação se transformou em movimento antigovernamental contra o primeiro ministro turco Recep Tayyip Erdogan. Ativistas protestavam contra a falta de consulta popular e pesada repreensão às manifestações. O local de maiores confrontos foi a Praça Taksim,em Istambul.   

3) 
ÍNDIA

Desde 2011, a Índia é palco de manifestações contra a corrupção no país.  Em 2013, o foco dos protestos foi a segurança das mulheres, que sofrem com frequência estupros e humilhações. No final de 2012, o caso de uma estudante que morreu após sofrer estupro coletivo chocou a Índia e o mundo, provocando revolta popular.  

4) 
EGITO

Protestos contra o regime de Hosni Mubarak tiveram início em 2011 e provocaram a queda do ditador. Em 2013, após protestos contra a centralização depoder do novo presidente, ocorreu uma intervenção militar para derrubar o líder democraticamente eleito, Mohammed Morsi.O exército anunciou a queda do governo Morsi em julho. Ato foi motivo para mais uma grande onda de manifestações.  

5) 
UCRÂNIA

Manifestações na Ucrânia eclodiram no final de 2013, fechando um ano marcado pelos protestos.Após interrupção das negociações entre o governo e a União Europeia, cidadãos favoráveis ao bloco de livre comércio europeu tomaram as ruas.  Milhares de ativistas enfrentam as baixas temperaturas do inverno para participar do movimento. Em cena emblemática, manifestantes derrubaram uma estátua de Lênin em Kiev. 

Palavras-chave: manifestações , manifestação , brasil , egito , ucrânia , índia , turquia , top 5 , 2013 , ano das manifestações , ativistas , ativista , manifestação , manifestantes , manifestante , protesto , protestos , onda de protestos ,

Gostou?

VIDEOS RELACIONADOS

Ver todos