Assassino de aluno da FGV confessa

enviar por e-mail
* campos são obrigatórios
corrigir
* campos obrigatórios
Brasil | 02/03/2011 - 20h41

O suspeito pela morte de Júlio César Grimm Bakri, de 22 anos, estudante da Fundação Getúlio Vargas (FGV), confessou na terça-feira (01/03) ter participado do crime.

Francisco da Silva, de 22 anos, e o irmão, Valmir da Silva, de 19, teriam realizados disparos contra dois alunos da faculdade que estavam em um bar.

Francisco conta que estava em outro bar quando o irmão chegou de moto e disse que precisava da ajuda dele para resolver um problema. Segundo o jovem, o irmão disse que havia sido chamado de “otário”.

Já na garupa da moto, Francisco disse ter recebido de Valmir um revólver e perguntou para o que seria. O irmão respondeu que ele logo saberia.

Ao chegar no bar, Valmir apontou a mesa onde estavam os estudantes. Depois disso, eles começaram a atirar.

Francisco negou que o crime tenha sido motivado por ciúmes e insistiu que o motivo foi uma ofensa.

Durante os disparos, ele foi baleado. As imagens da câmera de segurança mostram o momento em que ele e o irmão chegaram ao hospital.

Ele foi colocado em uma cadeira de rodas e levado para o centro cirúrgico. Depois de atendido, ele foi preso por estar com munição. Valmir conseguiu fugir. A polícia acredita que o irmão foragido esteja com as armas usadas no crime.

Nesta quarta-feira (02/03), o estudante Christopher Tominaga, um dos atingidos, foi transferido da UTI para um quarto. Segundo a assessoria de imprensa do hospital, o estado de saúde do jovem é estável.



Leia notícias do Brasil e do mundo no Último Segundo.

ACOMPANHE AS NOVIDADES DA TViG PELO TWITTER: http://twitter.com/tvig





Palavras-chave: confissão , assassinos , Júlio Bakri , fundação getúlio vargas , fgv ,

Gostou?

VIDEOS RELACIONADOS

Ver todos