Demonstração de armas não letais

enviar por e-mail
* campos são obrigatórios
corrigir
* campos obrigatórios
Brasil | 20/03/2010 - 09h53

O Batalhão de Polícia de Choque do Rio recebeu esta denominação nos tempos da ditadura militar. Já abrigou presos políticos e reprimiu manifestações de estudantes contra o regime da época. Mas, em tempos de democracia, o aparato para confronto direto do estado tem de se adaptar para não perder a sua utilidade. As prioridades, hoje, são outras. Sem frequência de protestos que justifique a existência do batalhão, até a escolta de celebridades entrou em pauta. Tropas recebem treinamento para uso de um leque cada vez maior de munições não letais, enquanto departamentos de planejamento e marketing estão sendo criados para uma modernização de olhos nos grandes eventos que acontecerão no país e no Rio. Em 2011, os Jogos Mundiais Militares; em 2013 , a Copa das Confederações; em 2014, a Copa do Mundo; e em 2016, a Olimpíada.

Leia a reportagem completa no Último Segundo.

Palavras-chave: Polícia , batalhão de choque , confronto , armas , Copa 2014 , rio de janeiro , copa do mundo 2014 ,

Gostou?

VIDEOS RELACIONADOS

Ver todos