Pai e madrasta de Joanna não vão a júri popular

enviar por e-mail
* campos são obrigatórios
corrigir
* campos obrigatórios
Brasil | 04/08/2011 - 14h29

O juiz do 3º Tribunal do Júri da Capital do TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro), Murilo André Kieling Cardona Pereira, determinou no início desta semana (01/08) que André Rodrigues Marins e Vanessa Maia Furtado, respectivamente pai e madrasta da menina Joanna Marins, não irão a júri popular.


Os autos serão distribuídos a uma das varas criminais do município do Rio.


Eles são acusados de tortura e homicídio qualificado por meio cruel. Os autos serão distribuídos a uma das varas criminais da Capital. Joanna morreu no dia 13 de agosto, vítima de meningite, no Hospital Rio Mar, na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio, aos cinco anos de idade.


Leia mais em Último Segundo:


Caso Joanna: Pai e madrasta não irão a júri popular

Palavras-chave: hospital , Rio de Janeiro , tortura , caso Joanna , hospital , madrasta , pai , morte , júri , negligência , meningite , Band News , Joanna , homicídio , júri popular ,

Gostou?

VIDEOS RELACIONADOS

Ver todos