Relatório diz que brasileira não estava grávida

enviar por e-mail
* campos são obrigatórios
corrigir
* campos obrigatórios
Brasil | 13/02/2009 - 19h23

Relatório do Instituto Médico Legal, da Universidade de Zurique, na Suíça, afirma: a brasileira Paula Oliveira, que diz ter sido agredida por neonazistas, não estava grávida e pode ter se mutilado.

A versão oficial revoltou a família da vítima - uma advogada de 26 anos, que diz que estava esperando gêmeos e abortou por causa da agressão.

Palavras-chave: agressão , gravidez , versão , mutilação , suíça , neonazistas , gêmeos , auto , zurique , advogada , aborto , relatório , brasileira , IML , universidade ,

Gostou?

VIDEOS RELACIONADOS

Ver todos