Cientistas 'desvendam' mistério de cemitério de baleias em deserto

enviar por e-mail
* campos são obrigatórios
corrigir
* campos obrigatórios
Ciência | 27/02/2014 - 14h43

Pesquisadores chilenos e americanos estabeceram uma teoria para explicar a existência de um misterioso cemitério de baleias pré-históricas ao lado da rodovia Pan-Americana, no deserto do Atacama, no norte do Chile.

Os cientistas acreditam que os cetáceos ancestrais podem ter morrido ao consumir algas tóxicas e que seus corpos foram parar no local que se encontram hoje - conhecido como Cerro Ballena ("Colina da Baleia") - por causa da configuração geográfica da região.

Os animais estão no local há 5 milhões de anos e este acúmulo de fósseis seria o resultado de não apenas um, mas de quatro grandes encalhes.Os dados recolhidos sugerem que todas as baleias ingeriram as algas. Os mamíferos mortos e os que estavam morrendo foram então arrastados para um estuário e, em seguida, para a areia onde, com o passar do tempo, foram enterrados.

Os estudiosos usaram modelos digitais em 3D dos esqueletos no sítio arqueológico e, depois, retiraram os ossos do local para mais análises em laboratório.Os resultados da pesquisa foram divulgados pela publicação especializada Proceedings B of the Royal Society.

Leia mais em iG Ciência:

Algas tóxicas explicariam misterioso cemitério de baleias em deserto

Palavras-chave: cientista , cientistas , mistério , cemitério , baleia , baleias , deserto , cetáceos , ancestrais , algas tóxicas , algas , tóxicas , chile , americanos , pesquisa , zoomin ,

Gostou?

VIDEOS RELACIONADOS

Ver todos