Cientistas preveem verões mais quentes nas próximas décadas

enviar por e-mail
* campos são obrigatórios
corrigir
* campos obrigatórios
Ciência | 20/06/2011 - 13h22

As áreas tropicais e boa parte do hemisfério norte podem enfrentar um "aumento irreversível" nas temperaturas dos verões dos próximos 20 anos se continuarem as tendências dos gases do efeito estufa, de acordo com novo estudo da Universidade Stanford.


A pesquisa, que será publicada em breve na revista "Climate Change Letters", assinala que muitas regiões tropicais da África, Ásia e América do Sul poderiam ver "um surgimento permanente de calor sem precedentes" nas próximas duas décadas, se as concentrações atuais de gases do efeito estufa continuarem aumentando.


Os pesquisadores de Stanford indicaram no estudo que as latitudes do centro da Europa, China e América do Norte, incluindo EUA, poderiam atravessar mudanças extremas nas temperaturas de verão em um prazo de 60 anos.


Para determinar o impacto do aquecimento global nas próximas décadas, os pesquisadores analisaram mais de 50 experimentos com modelos climáticos que previsivelmente registrarão aumento das concentrações de gases do efeito estufa.


Segundo a análise, muitas partes do planeta, especialmente os trópicos, poderiam sofrer um aumento permanente nas temperaturas estacionais em um prazo de 60 anos.



Grandes áreas da América do Norte, China e do mediterrâneo na Europa poderiam registrar um novo padrão de calor para o ano 2070, com severas consequências do aumento de temperaturas na saúde humana, agricultura e ecossistema.


Leia mais em iG Ciência.

Palavras-chave: Universidade Stanford , ciência , quente , emissão de gases , meteorologia , verões , cientistas , cientistas , verão , pesquisa , efeito estufa , ecossistema , calor ,

Gostou?

VIDEOS RELACIONADOS

Ver todos