'A lei trabalhista brasileira é paternalista', diz Regina Manssur

enviar por e-mail
* campos são obrigatórios
corrigir
* campos obrigatórios
Economia | 28/03/2013 - 00h20

A socialite Regina Manssur está preocupadíssima com a aprovação da Lei das Domésticas pelo Congresso, na última terça-feira (26).


Com cinco empregados fixos em casa, a advogada participante do programa “Mulheres ricas” da TV Bandeirantes, afirma à editora Paula Pacheco que a legislação trabalhista brasileira “é paternalista”.


Segundo ela, o excesso de direitos pode pesar no orçamento dos patrões e resultar em demissões.

 

“Nem todo patrão é ruim e nem todo empregado é vítima”, defende Regina, que sugere o uso de livro-ponto para controlar os horários desses profissionais e até câmera para as donas de casa se resguardarem de processos trabalhistas.

 

“Eu não admito funcionário com filho pequeno. Infelizmente. Porque é uma carga que não vou poder ter. Da mesma forma em que no meu escritório não admito moças que vão ficar grávidas”, argumenta.

 

Veja também no iG:

 

Domésticas ficarão mais caras com controle da jornada

 

- Gasto com empregado doméstico tem desconto no IR

 

Lei das domésticas eleva busca por diaristas, dizem agências de emprego

 

Palavras-chave: Regina Manssur , Mulheres Ricas , Programa , Lei das Domésticas , socialite , lei trabalhista , domésticas , funcionárias do lar ,

Gostou?

VIDEOS RELACIONADOS

Ver todos