Austrália rejeita plano de emissões

enviar por e-mail
* campos são obrigatórios
corrigir
* campos obrigatórios
Mundo | 14/08/2009 - 08h58

O Senado australiano rejeitou nesta quinta-feira o projeto de lei para o comércio de emissões apresentado pelo governo para combater o aquecimento global. Os senadores temem que o plano, apresentado pelo primeiro-ministro, Kevin Rudd, pudesse prejudicar a indústria de mineração do país.

A proposta previa a redução de 5% nas emissões de gases poluentes que provocam o efeito estufa nos próximos dez anos - uma meta modesta se considerados os padrões europeus. A Austrália é um dos países mais secos do mundo e as taxas de emissões per capita estão entre as maiores do planeta.

O governo de Rudd não tem a maioria no Senado e a derrota da proposta já era esperada por analistas. O projeto de lei pode ser apresentado novamente ao Senado após três meses. Caso seja novamente rejeitado, uma eleição geral pode ser convocada.

Lobistas alegaram que se a Austrália cortasse a produção de minerais, outros países começariam a produzir para cumprir a demanda global e isso também não seria benéfico ao meio ambiente global.

O argumento tem bastante ressonância na Austrália, especialmente porque o setor de mineração, assim como a agricultura, serviram de base para a prosperidade pós-guerra.

Acompanhe as notícias do Brasil e do mundo no Último Segundo.

Palavras-chave: aquecimento global , Austrália , plano , proposta , corte , emissões ,

Gostou?

VIDEOS RELACIONADOS

Ver todos