Cirurgiões britânicos separam gêmeas siamesas unidas pela cabeça

enviar por e-mail
* campos são obrigatórios
corrigir
* campos obrigatórios
Mundo | 20/09/2011 - 16h06

Cirurgiões de um hospital britânico separaram irmãs gêmeas unidas pela cabeça em uma operação extremamente rara: apenas 5% dos siameses são unidos pela cabeça e, segundo especialistas, cerca de 40% desses recém-nascidos morrem durante o parto ou após 24 horas.


As bebês sudanesas Rital e Ritag Gaboura, de 11 meses, passaram pela quarta cirurgia de separação em 15 de agosto, mas só neste domingo foram divulgadas informações sobre seu estado de saúde.


O caso das gêmeas é chamado de craniopagus total tipo III, o que significa que o sangue fluía entre seus cérebros, um desafio particularmente difícil para os médicos, já que a situação envolvia risco de morte e danos neurológicos diversos.


Os pais das gêmeas, Abdelmajeed e Enas Gaboura, divulgaram que "estão agradecidos por poderem voltar para casa com duas meninas separadas e saudáveis".


Leia mais em Último Segundo:


Gêmeas siamesas unidas pela cabeça são separadas em Londres

Palavras-chave: siamesas , danos neurológicos , hospital britânico , gêmeas , Reuters , sudanesas , cirurgia , cirurgião , bebês , operação , Londres ,

Gostou?

VIDEOS RELACIONADOS

Ver todos