Coreia do Norte mantém 200 mil presos políticos em campos de concentração

enviar por e-mail
* campos são obrigatórios
corrigir
* campos obrigatórios
Mundo | 18/05/2011 - 17h39

A Anistia Internacional calcula que o regime totalitário da Coreia do Norte mantém 200 mil presos políticos em campos de concentração. Com base em imagens de satélite, a entidade constatou que eles cresceram nos últimos dez anos.


Segundo a entidade, os detentos ficam nos campos a vida toda, sem julgamento. É comum, também, ver uma família toda estar presa, quando um de seus membros fez algo considerado "ofensivo" ao regime comunista.


Segundo um ex-detento, que hoje vive fora da Coreia do Norte, o principal motivo das mortes nesses campos era a desnutrição. A comida é péssima e aliada à má alimentação e trabalhos excessivos e forçados, as pessoas não conseguem sobreviver.


Outros que passaram pelos campos de concentração dizem que sofreram ou testemunharam torturas e excecuções sumárias.


A Anistia Internacional pede agora à Coreia do Norte que feche esses campos e solte os presos políticos.


Leia mais notícias sobre o Brasil e o mundo em Último Segundo.

Palavras-chave: tortura , coreia do norte , campos , totalitarismo , morte , oposição , comunismo , presos , reuters , escravidão , execução , desnutrição , torturas , mortes , comunista , opositores , regime , excecuções , presos políticos , denúncia , prisão , campos de concentração , anistia internacional ,

Gostou?

VIDEOS RELACIONADOS

Ver todos