Crise política nas Maldivas não afetou turismo

enviar por e-mail
* campos são obrigatórios
corrigir
* campos obrigatórios
Mundo | 14/02/2012 - 14h26

Até o momento, os turistas que estão nas Ilhas Maldivas não sentiram os efeitos das manifestações políticas que acontecem na capital do país.


Um motim da polícia forçou o presidente Mohamed Nasheed a renunciar no dia 7 de fevereiro. Desde então, continuam os confrontos nas ruas.


O turismo é responsável por cerca de 30% da economia das Maldivas, o arquipélago de cerca de 1.200 ilhas, localizado no Oceano Índico.


Seus resorts de luxo transformaram a ilha de um entreposto de pesca isolado do mundo no destino de férias preferido de astros de Hollywood e casais em lua de mel.


O temor é que, com a crise política, a indústria do turismo seja afetada, causando prejuízos ao setor.


Nasheed - o primeiro presidente eleito democraticamente nas Maldivas - vinha sendo criticado desde que mandou o Exército prender Abdulla Mohamed, juiz do principal tribunal criminal do país.


Seu governo também sofre a acusação de corrupção e má gestão financeira.


Leia mais notícias sobre o Brasil e o mundo em Último Segundo.

Palavras-chave: confronto , deposição , turismo , deposto , ilhas , Oceano Índico , arquipélago , confrontos , Justiça , má administração , Maldivas , Ilhas Maldivas , presidente , Exército , manifestação , má gestão , protesto , Reuters , turistas , manifestações , corrupção , protestos , ilhas ,

Gostou?

VIDEOS RELACIONADOS

Ver todos