Cristãos sírios estão de bem com o regime

enviar por e-mail
* campos são obrigatórios
corrigir
* campos obrigatórios
Mundo | 10/05/2011 - 19h44

Em meio a 20 milhões de árabes e curdos, 7,5% da população da Síria se declara cristã e afirma desfrutar de boas relações com outros grupos religiosos do país - e também com o presidente, o muçulmano alawite Bashar al-Assad.


Recentemente, a Síria foi sacudida por protestos pró-democracia, nos quais centenas de pessoas teriam morrido. Muitos cristãos se dizem opositores à queda do atual governo, embora queiram uma reforma profunda no país.


Apesar de viver em um regime laico e autocrático, muitos têm o presidente em alta estima. Confiantes também na boa relação que mantém com os muçulmanos alauítas – ramo do islamismo xiita –, os critãos se sentem tranquilos caso o governo atual venha cair.


Com os protestos se espalhando pelo mundo árabe, houve temores de que algumas das minorias religiosas da região pudessem sofrer reviravolta. No vizinho Iraque, os cristãos foram alvo de extremistas e fugiram do país em massa.


Enquanto os cristãos da Síria estão confiantes de seu lugar na sociedade, as rápidas mudanças que ocorrem em todo o mundo árabe têm plantado algumas sementes de dúvidas.


Leia também em Último Segundo:


Forças sírias fazem dezenas de prisões em Homs e Baniyas

Palavras-chave: protestos , islamismo , Bashar al-Assad , cristãos , afp , manifestações , mortes , presidente , convivência , muçulmanos , mortos , Síria , protestos , democracia , regime , manifestantes ,

Gostou?

VIDEOS RELACIONADOS

Ver todos