Família de soldado que matou civis afegãos está em choque

enviar por e-mail
* campos são obrigatórios
corrigir
* campos obrigatórios
Mundo | 16/03/2012 - 13h02

John Henry Browne, advogado de defesa do soldado americano que matou 16 civis afegãos, disse nesta sexta-feira (16/03) que o militar teme por sua segurança e pela de sua família, nos Estados Unidos.


O sargento, cuja identidade não foi revelada, é acusado de ter disparado indiscriminadamente contra civis afegãos, na semana passada, depois de um aparente colapso nervoso. O caso gerou revolta no Afeganistão.


Browne, um conhecido advogado de defesa de Seattle, disse que o soldado presenciou um colega perder a perna em uma explosão um dia antes das mortes.


Disse também que o militar havia se ferido enquanto servia no Iraque e não queria combater no Afeganistão.


Apesar de pedidos de afegãos para que o soldado fosse julgado no país, o militar foi enviado ao Kuait, onde está abrigado em uma base americana.


Leia mais notícias sobre o Brasil e o mundo em Último Segundo.

Palavras-chave: família , afegão , exército , estados unidos , eua , mortes , colapso nervoso , sargento , civis , tiroteio , soldado , afeganistão , tiro , vítima , reuters , afegãos , morte , civil , crianças , advogado , militar , acusação , advogado de defesa , tiros , segurança , vítimas , soldados ,

Gostou?

VIDEOS RELACIONADOS

Ver todos