Guantánamo tem quase 130 presos em greve de fome

enviar por e-mail
* campos são obrigatórios
corrigir
* campos obrigatórios
Mundo | 29/04/2013 - 15h58

A greve de fome na prisão da base militar americana de Guantánamo, em Cuba, era mantida nesta segunda-feira por 130 dos 166 presos, dos quais 19 eram alimentados à força, anunciou um porta-voz do complexo penitenciário.


O número de detentos em greve de fome segue aumentando constantemente desde que teve início o movimento, no dia 6 de fevereiro. Os primeiros registros apresentados pelas autoridades militares em 11 de março faziam referência a nove grevistas.

 

Os advogados dos presos afirmam que cerca de 130 mantêm a greve de fome, desencadeada como consequência da insatisfação dos prisioneiros com o que consideraram uma profanação de exemplares do Alcorão. Segundo os advogados, no entanto, a maioria dos que estão em greve de fome denunciam sua detenção por tempo ilimitado há onze anos, sem formulação de acusações nem julgamento.

 

Leia mais notícias do Brasil e do mundo em Último Segundo.

Palavras-chave: guantánamo , prisão , presos , cadeia , presídio , penitenciária , prisioneiros , movimento , alcorão , profanação , greve de fome , greve , fome , protesto , protestos , reuters , grevistas ,

Gostou?

VIDEOS RELACIONADOS

Ver todos