Julgamento de menina presa por blasfêmia é adiado no Paquistão

enviar por e-mail
* campos são obrigatórios
corrigir
* campos obrigatórios
Mundo | 04/09/2012 - 15h26

No Paquistão, a audiência da menina cristã de onze anos presa por blasfêmia foi adiada por conta da greve dos advogados no país.


Rimsha Masih foi detida em 16 de agosto após denúncia de um vizinho que alegou ver a menina jogando fora páginas queimadas do Alcorão.


O Conselho de Ulemás do Paquistão, que representa parte dos líderes muçulmanos moderados do país, pediu proteção para a menina.


Dias atrás, um clérigo muçulmano foi preso sob acusação de ter forjado as provas para incriminar a menina que, segundo a família, sofre deficiência mental.


No Paquistão, difamar o Corão resulta em pena de morte, mas os críticos alegam que a lei é usada para resolver disputas pessoais.


Uma nova audiência foi marcada para o dia sete de setembro.


Leia mais em Último Segundo:


Paquistão prende imã que acusou jovem cristã de blasfêmia

Palavras-chave: paquistanesa , corão , paquistanês , muçulmanos , reuters , denúncia , adiamento , religioso , blasfêmia , sown , muçulmana , menina , líder , deficiência mental , julgamento , detenção , queimar , síndrome de down , alcorão , religião , prisão ,

Gostou?

VIDEOS RELACIONADOS

Ver todos