Portugal mergulha na crise política

enviar por e-mail
* campos são obrigatórios
corrigir
* campos obrigatórios
Mundo | 24/03/2011 - 12h14

Portugal mergulhou em uma crise política nesta quinta-feira (24/03), após a renúncia do primeiro-ministro José Sócrates.


O premiê renunciou depois que os partidos da oposição votaram contra, pela quarta vez em um ano, o plano de austeridade do governo, que é minoria no Parlamento. Agora a preocupação é que a crise política do país pode levar o governo a solicitar ajuda financeira externa.


A renúncia do primeiro-ministro Jose Sócrates é prova da gravidade da crise política em Portugal e aumenta as chances de que o país mergulhe em sérios problemas econômicos.


Como Grécia e Irlanda em 2010, acredita-se que Portugal deve solicitar em breve um resgate financeiro a União Europeia e, provavelmente, também ao Fundo Monetário Internacional (FMI).


Portugal precisa de cerca de 50 bilhões (R$ 117,5 bilhões) para pagar suas dívidas. A aparente inviabilidade de o país contrair mais empréstimos ameaça colocar toda a Europa em crise.


Leia mais sobre a renúncia de José Sócrates em:


Crise financeira derruba primeiro-ministro de Portugal

Palavras-chave: empréstimos , economia , AFP , queda , Grécia , oposição , renúncia , plano austeridade , crise política , minoria , premiê , empréstimo , parlamento português , FMI , dívidas , política , crise , União Europeia , Espanha , crise econômica , Portugal , português , José Sócrates , parlamento , primeiro-ministro , Irlanda , programa austeridade , dívida ,

Gostou?

VIDEOS RELACIONADOS

Ver todos