Programa de reintegração de rebeldes talebans é questionado

enviar por e-mail
* campos são obrigatórios
corrigir
* campos obrigatórios
Mundo | 08/06/2012 - 10h00

Rifles, munições e armamentos foram alinhados sobre uma mesa durante uma cerimônia realizada na província de Ghor, no oeste do Afeganistão.


Cerca de 100 homens depuseram suas armas e se aliaram ao governo,como parte de um programa de reintegração patrocinado pelo Afeganistão.


Autoridades da Otan e afegãs afirmam que os antigos rebeldes estão dispostos a aderir ao processo de paz no país.


“A miséria e a tristeza nos obrigou a pegar armas e lutar uns com os outros. Mas agora decidimos entregar nossas armas para o governo, a fim de ter paz e estabilidade no país”, disse Rais Muhmod, um dos insurgentes que aderiu ao processo.


O programa promovido pelo presidente Hamid Karzai dá anistia a combatentes que depuserem as armas.


Eles também recebem formação profissional, emprego e ajuda para seus vilarejos. No entanto, o plano de reintegração dos rebeldes do Taleban, feito pelo governo afegão, está sendo alvo de critícas por autoridades do próprio país, como o ex-general c. Ele diz que o governo gastou uma grande quantidade de dinheiro, mas não conseguiu trazer mais líderes talibãs de nível superior que são a chave para a negociação de tratados de paz.


A crítica acontece em meio à crescente ansiedade sobre a segurança do país, após a saída das tropas internacionais, programada para 2014.


Leia mais notícias do Brasil e do mundo em Último Segundo.

Palavras-chave: ex-insurgentes , reuters , conflito , treinamento , armas , Hamid Karzaim , talebã , programa , luta , miséria , autoridades , rebeldes , guerra , Afeganistão , segurança , anistia ,

Gostou?

VIDEOS RELACIONADOS

Ver todos