Putin diz que aceita ação na Síria se houver provas de ataque químico

enviar por e-mail
* campos são obrigatórios
corrigir
* campos obrigatórios
Mundo | 05/09/2013 - 12h17

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, afirmou que Moscou não descarta aceitar uma ação militar contra o regime do presidente da Síria, Bashar al-Assad, se ficar demonstrado que ele usou armas químicas contra a população, em entrevista divulgada nesta quarta-feira (4/09) pelo Kremlin.

Putin destacou que só o Conselho de Segurança da ONU pode autorizar o uso da força militar contra um país soberano, já que todas as outras vias são "inadmissíveis e só podem ser qualificadas de agressão".

"Se tivermos dados objetivos, exatos, sobre quem cometeu esses crimes, então haverá uma reação. Dizê-lo agora, de antemão, seria incorreto, assim não se atua em política", disse o presidente russo, respondendo à pergunta se Moscou iria continuar fornecendo armamento ao regime sírio.

Putin acrescentou que, em qualquer caso, a Rússia ocupará uma postura de princípios, que "consiste em que o uso de armas de aniquilação em massa é um crime".

Leia mais em Último Segundo:

Putin 'não exclui' apoio à ação na Síria se houver provas de ataque químico

Palavras-chave: síria , sírios , ataque químico , arma química , armas químicas , ONU , vladimir putin , kremlin , conselho de segurança , rússia , russo , russos , população , zoomin ,

Gostou?

VIDEOS RELACIONADOS

Ver todos