Vítimas que sobreviveram ao massacre de Oslo prestam depoimento

enviar por e-mail
* campos são obrigatórios
corrigir
* campos obrigatórios
Mundo | 15/05/2012 - 15h38

Na segunda-feira (14/05), o tribunal que julga o norueguês Anders Behring Breivik pelo duplo massacre que deixou 77 mortos em 2011, começou a ouvir jovens que ficaram feridos durante o incidente na Ilha de Utoya.


Uma das testemunhas, Frida Holm Skoglund, 20 anos, contou ter retirado uma bala do próprio corpo e enviou uma mensagem indireta a Breivik: “Nós ganhamos, ele perdeu.”


Frida pediu que o extremista fosse retirado do tribunal dizendo estar nervosa demais para testemunhar diante do homem que tentou matá-la. Relembrando os momentos de horror vividos na ilha, ela contou ter se escondido na floresta e ficado surpresa quando um amigo lhe mostrou que ela tinha uma bala na região da coxa. “Achei que era impossível, que não era uma bala real. Mas senti algo pontiagudo na minha coxa e era mesmo uma bala”, afirmou. “Então a tirei e a joguei longe. Não senti dor.”


Na semana passada, o tribunal que julga Breivik ouviu sobreviventes que não ficaram feridos no massacre de Utoya. Anteriormente foram ouvidos testemunhas do primeiro ataque cometido pelo extremista em 22 de julho de 2011: a explosão de um carro-bomba em Oslo.


Leia mais em Último Segundo:


Homem ateia fogo ao próprio corpo em frente ao julgamento de Breivik

Palavras-chave: feridos , massacres , julgamento , norueguesa , oslo , noruega , ilha , utoya , tribunal , noruegueses , explosão , vítimas , sobreviventes , sobrevivente , Anders Behring Breivik , massacre , vítima , juiz , Breivik , norueguês , assassinato , reuters , carro-bomba , norueguesas ,

Gostou?

VIDEOS RELACIONADOS

Ver todos