Zelaya fala sobre esquadrões da morte

enviar por e-mail
* campos são obrigatórios
corrigir
* campos obrigatórios
Mundo | 25/09/2009 - 07h35

O presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, agradeceu nesta quinta-feira o apoio da comunidade internacional, mas afirmou que ainda não foi suficiente e que é necessário pressionar muito mais para evitar que a situação do país centro-americano se repita.

"A comunidade internacional fez bastante, foi muito importante para sustentar a resistência interna contra um regime despótico. Mas ainda não foi suficiente; é preciso que seja muito maior para que estes maus exemplos na vida de nossas democracias não se voltem a se repetir", disse Zelaya em entrevista telefônica à TVEFE.

Sobre as próximas eleições, o presidente deposto disse que o Governo de fato de Roberto Micheletti "quer fazer as eleições como no Afeganistão, a sangue e a fogo, sob praticamente uma guerra".

"As eleições nunca foram questionadas aqui, esse é uma invenção do regime despótico que se instalou em nosso país", disse.

Zelaya, que está há 88 dias afastado do poder, se encontra na Embaixada do Brasil em Tegucigalpa desde segunda-feira, quando voltou a Honduras, quase três meses após o golpe militar que o tirou do poder, em 28 de junho.

ACOMPANHE AS NOVIDADES DA TViG PELO TWITTER: http://twitter.com/tvig

Acompanhe as notícias do Brasil e do mundo no Último Segundo.



Palavras-chave: Zelaya , honduras , Manuel Zelaya , presidente , apoio , Embaixada do Brasil ,

Gostou?

VIDEOS RELACIONADOS

Ver todos