'Animais são tratados como objetos e não seres', diz deputado que articula CPI

enviar por e-mail
* campos são obrigatórios
corrigir
* campos obrigatórios
Política | 23/10/2013 - 12h00

Desde agosto tentando emplacar sua CPI para investigar maus tratos a animais, o deputado Ricardo Izar (PSD-SP) era só empolgação nesta terça-feira (22/10 ) na Câmara dos Deputados.

Ele diz ter ido até São Roque, no interior paulista, para acompanhar a ação de manifestantes que apreenderam cães da raça beagle que seriam usados em testes para a indústria de cosméticos. Izar explica que fez um acordo com o presidente da Casa, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), para abrir mão da relatoria da comissão externa que investigará o instituto que fazia testes com os cães, para instaurar a CPI dos maus tratos a animais.

“No Brasil não existe política pública nenhuma. Começa no (Código de) Processo Civil que trata o animal como objeto e não como um ser. Essa coisa tem de ser alterada. As penas têm de ser maximizadas, tem de ser tipificado o que são maus tratos a animais. Temos vários casos que não são preenchidos na lacuna legislativa”, disse Izar.

Palavras-chave: cpi , animais , política , maus tratos , beagle , beagles , mundo animal , bichos , bicho ,

Gostou?

VIDEOS RELACIONADOS

Ver todos