Entrevista com Janice Ascari, procuradora-geral da República

enviar por e-mail
* campos são obrigatórios
corrigir
* campos obrigatórios
Política | 05/10/2011 - 15h24

Janice Ascari, uma das integrantes mais combativas do Ministério Público Federal, fala sobre a guerra no Judiciário pela tentativa de reduzir os poderes do Conselho Nacional de Justiça (CNJ)


Uma das principais decisões do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que começou a funcionar em 2005, foi a de fiscalizar, processar e aplicar sanções administrativas a magistrados envolvidos com corrupção, nepotismo e tráfico de influência.


A tarefa cabia às corregedorias dos tribunais, mas muitas delas foram corroídas pelo corporativismo. A pretexto de preservar a "imagem da Justiça", essas corregedorias deixavam de expor irregularidades de todo o tipo, cometidas por juízes.


Em seis anos de atuação, o CNJ condenou 49 magistrados. Desse total, 24 foram punidos com a pena máxima no plano administrativo - a aposentadoria compulsória.


Leia mais notícias do Brasil e do mundo em Último Segundo.

Palavras-chave: ministério público , corporativismo , juízes , juiz , ministério público federal , condenação , magistrados , procuradora-geral , justiça , entrevista , Janice Ascari , CNJ , controle externo , Conselho Nacional de Justiça , entrevista ,

Gostou?

VIDEOS RELACIONADOS

Ver todos