Neozelandês inventa `mochila a jato particular´

enviar por e-mail
* campos são obrigatórios
corrigir
* campos obrigatórios
Tecnologia | 15/06/2011 - 16h26

Uma mochila a jato particular pode chegar às prateleiras das lojas até o fim do ano. Tanto clientes comerciais quanto militares já fazem fila para conseguir o dispositivo neozelandês, criado por Glenn Martin.


O inventor passou as últimas três décadas desenvolvendo uma máquina capaz de satisfazer sua fantasia de infância, a de poder voar. Mas Martin quer ir além. Ele planeja comercializar as chamadas mochilas a jato fáceis de usar para qualquer pessoa corajosa o suficiente que deseje se lançar aos céus sozinha.


“Acredito que até o fim do ano teremos pessoas, em particular nossos clientes, voando regularmente”, declarou o inventor.


Na mochila a jato particular, rotores de dois dutos sopram rajadas de ar em alta velocidade, controladas por três pares de lemes. O motor é um V4, de dois litros, com 200 cavalos de força.


Há ainda um paraquedas que é liberado se o computador achar que o piloto está voando fora de controle. Menos de 100 pessoas já decolaram em um desses, mas Martin diz ter recebido milhares de pedidos. E não são apenas os ricos viciados em adrenalina que podem pagar 100 mil dólares.


“Já fomos abordados, acho, por uns cinco militares diferentes, por uns seis governos. As pessoas querem usá-lo para patrulhar fronteiras, em várias divisas delicadas do mundo”, disse o inventor.


Martin prefere não revelar nomes e diz que se a empresa tivesse 100 modelos na prateleira, no dia seguinte, tudo estaria vendido. Ele já vislumbra um futuro onde um dia típico incluirá voar até o trabalho, dando uma passadinha no posto para colocar gasolina e beber um cafezinho.


Leia mais notícias sobre o Brasil e o mundo em Último Segundo.


Palavras-chave: invenção , criação , AFP , comercialização , glenn martin , mochilas a jato , mopchilas a jato particular , nova zelândia , tecnologia ,

Gostou?

VIDEOS RELACIONADOS

Ver todos