Seria a maior piada desse País, diz Luisa Mell sobre ser presa por furto de beagles

enviar por e-mail
* campos são obrigatórios
corrigir
* campos obrigatórios
Mundo Animal | 22/10/2013 - 17h18

Além de assumir ter participado do “resgate” de cerca de 200 cachorros da raça beagle na invasão do Instituto Royal, em São Roque, na madrugada sexta-feira (18/10), a apresentadora e defensora dos direitos dos animais Luisa Mell não teme ser acusada na Justiça. Isso porque, depois da ação feita com ajuda de outros ativistas, a polícia anunciou que investiga o caso como furto de animais. Ela dá risada sobre a possibilidade de ser acusada de um crime e rebate.

Sua justificativa para ter entrada na sede do Instituto Royal e levado cães da empresa é que havia denúncias “na internet” de maus-tratos contra a organização. “Muitas fotos circularam pela internet de um cachorro de lá com um olho costurado. Uma outra prova que nós tínhamos  foi de uma pessoa da cidade que adotou um cachorro do Instituto Royal e ele não tinha uma membrana do olho porque a gente sabe que eles fazem teste de cosméticos que são feitos nos olhos dos animais. A gente já tinha um animal, que tinha saído de lá e, todas as análises, mostravam que foi submetido, durante anos, a maus tratos”, argumenta.

Palavras-chave: Luisa Mell , beagles , cachorros , cães , invasão , Instituto Royal , resgate , cosméticos ,

Gostou?

VIDEOS RELACIONADOS

Ver todos